Carregando...
63 3217-1503 comunicacao@sindepol-to.com.br
20 de Março de 2019

Presidente do Sindepol/TO participa do lançamento da Frente Ética Contra a Corrupção

Evento aconteceu em Brasília-DF

.
A inauguração contou com a participação de Senadores, Deputados e representantes de entidades de classe de todo o país
 

 

 
 
 
Na tarde desta terça-feira, 19, aconteceu na Câmara de Deputados, em Brasília, o lançamento da Frente Ética Contra a Corrupção (FECC). A medida é composta por deputados e senadores de vários partidos unidos em um único propósito: Combater a Corrupção no Brasil.  A Frente será responsável por desenvolver diversos projetos que vão de encontro a transparência na Administração Pública, cessando assim privilégios, auxílios desnecessários, dentre outros privilégios. 
 
O presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Tocantins (Sindepol/TO), Mozart Felix, esteve presente a convite do diretor da FECC e Deputado Federal (PSB), Prof Luiz Flavio Gomes, que após analisar as constantes perseguições políticas do Governo do Tocantins contra os Delegados de Polícia Civil se comprometeu a tratar do assunto de imediato nas pautas das primeiras sessões ordinárias e buscar uma solução. 
 
Segundo o Prof, Luiz Flavio Gomes, a criação da FECC acontece no momento ideal. “É um imenso prazer participar desse ato, a inauguração da Frente que vai atuar e combater à corrupção no nosso país. Vejo aqui aliados que estão participando de vários outros atos e isso é muito importante, pois o momento requer uma postura efetiva de todos nós”, comenta. 
 
Para Mozart, a FECC atenderá diretamente os anseios da população que é a mais atingida com os atos de corrupção. “Acreditamos que essa Frente trará muitos benefícios à população brasileira que é a principal vítima dos atos de corrupção. Estamos confiantes que a Polícia Civil do estado do Tocantins também será beneficiada, deixando de ser perseguida por combater à corrupção e assim poderá realizar seu trabalho sem interferências políticas”, afirma o presidente. 
 
No Tocantins
O conflito do Governo do Estado com os Delegados Polícia Civil não é de hoje, desde o momento em que a PC começou a investigar incessantemente e combater à corrupção nos órgão públicos e agentes públicos, o Governador se sentiu incomodado e começou os ataques.   
A última ação veio na segunda, 11, quando, Mauro Carlesse (PHS), emitiu no Diário Oficial um decreto que propõe um Manual de Procedimentos para Polícia Civil com uma série de dispositivos ilegais e inconstitucionais. 
 
Um dos dispositivos envolve até mesmo o trabalho da imprensa, proibindo os Delegados de repassarem informações de interesse público sem uma autorização prévia do Delegado-Geral. 
 
A presidente do Sindicato dos Jornalistas do estado do Tocantins (Sindjor), Alessandra Bacelar, é parceira do Sindepol/TO, tem acompanhado o caso e comenta sobre o manual. “Esta medida traz procedimentos que dificultam o trabalho da imprensa com relação ao acesso à informação. Nosso compromisso é atender e repassar o que é de interesse público sem atos tão burocráticos, esse manual fere claramente o que determina a Lei de Acesso à Informação nº 12.527/2011 e isso é inadmissível”, aponta a presidente do Sindjor.

 

 

Ascom Sindepol/TO

Sarah Pires e Kezia Noa 

Jornalistas 

FILIE-SE ONLINE ou faça o download da Ficha de Filiação e encaminhe-nos
Parceiros

Receba nosso informativo em seu e-mail

SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA CIVIL DO TOCANTINS
ENDEREÇO
1002 Sul, Cj. 01, Lt. 01, Av. Teotônio Segurado
Palmas/TO
CEP 77.023-484
CONTATO 63 3217-1503
© COPYRIGHT 2017