Carregando...
63 3217-1503 comunicacao@sindepol-to.com.br
12 de Março de 2020

O que fazem os Delegados? | DECOR (Palmas)

Delegada Chefe: Dra. Juliana Quintanilha

Delegada Chefe, Dra. Juliana Quintanilha (foto: Arquivo Pessoal)
Delegada Chefe, Dra. Juliana Quintanilha (foto: Arquivo Pessoal)

 

Quando o assunto é corrupção, todos ficam mais atentos. É um crime que envolve dinheiro público, saúde, educação e princípios em que toda a comunidade está interessada. Os Delegados responsáveis por investigar esses crimes podem ser encontrados na Divisão Especializada de Repressão à Corrupção (DECOR) e é sobre ela que conversamos com a Delegada Chefe, Dra. Juliana Quintanilha.

A DECOR, assim como outras Divisões de Repressão, como a de Narcóticos (DENARC), Crimes Cibernéticos (DRCC), Contra a Ordem Tributária (DRCOT), Crime Organizado (DEIC) e de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), respondem à Diretoria de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (DRACCO). A DECOR, no entanto, pode ser considerada recente, uma vez que surgiu em substituição à antiga DRACMA.

A Delegada Juliana Quintanilha explica que o combate à corrupção é o dever da Polícia, porém responsabilidade de todos, sendo as denúncias uma importante fonte para a investigação. “A corrupção é sistêmica em nosso país e existe desde a colonização, o que mudou é que hoje os crimes não conseguem ficar encobertos”, comenta a titular, que complementa afirmando que o objetivo da Divisão é “apurar os fatos com isenção e imparcialidade e concluí-los com celeridade para que não haja, por parte da população, sentimento de impunidade, pois somente à ela temos o dever e obrigação”.

Orgulho

Apesar de ter sido marcada por vários momentos na carreira, a Dra. Juliana destaca que “quando a minha atuação é útil, quando ajudo alguém, quando consigo de forma direta ou indireta mudar a vida de um indivíduo ou de uma comunidade me sinto gratificada por essa oportunidade e percebo que valeu a pena todo o esforço. Essa é minha maior recompensa”.

Desafios

A carência de pessoal e de equipamentos tecnológicos é presente em várias Delegacias, o que apresenta um desafio na hora de apresentar um trabalho de qualidade. No entanto, a Delegada vê também outra perspectiva. “Apesar disso, vejo pessoas motivadas na Polícia. Pessoas dedicadas e comprometidas, aprendendo a superar esses desafios. Não há crescimento e nem evolução em ambientes totalmente favoráveis”, afirma.

O que é ser Delegada?

Segunda a Dra. Juliana,“ser Delegada é enfrentar desafios o tempo todo, é ser assertiva em suas decisões e procurar ser justa. É ter consciência de que o conhecimento teórico não será suficiente para obter sucesso na profissão, é saber gerir uma unidade policial com eficiência e criatividade. É ter consciência e saber da responsabilidade que suas investigações terão na vida de diversas pessoas. É ter curiosidade sem limite e muita intuição. É ter coragem no DNA. É ter equilíbrio entre firmeza e sensibilidade.”

Juliana Quintanilha

Delegada de Polícia Civil pelo Estado do Tocantins há 18 anos, a titular já passou também pelas Delegacias Especializadas da Criança e do Adolescente (DECA) em Gurupi, Miracema, Paraíso e Palmas; de Atendimento à Mulher (DEAM) em Miracema, Paraíso e Palmas, além da Corregedoria da Polícia Civil, ESPOL, COSTUMES e, atualmente, a DECOR.

FILIE-SE ONLINE ou faça o download da Ficha de Filiação e encaminhe-nos
Parceiros

Receba nosso informativo em seu e-mail

SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA CIVIL DO TOCANTINS
ENDEREÇO
1002 Sul, Cj. 01, Lt. 01, Av. Teotônio Segurado
Palmas/TO
CEP 77.023-484
CONTATO 63 3217-1503
© COPYRIGHT 2017